5º PRÊMIO BOAS PRÁTICAS

1º LUGAR - HORIZONTINA

Educar para Empreender, Inovar para Conectar: um case de sucesso da Educação Municipal de Horizontina

O projeto: Uma Educação que conecta pessoas ao conhecimento e a propósitos de vida e interação constante com o coletivo pode ser encontrada num pequeno município localizado no noroeste rio-grandense, na microrregião de Três Passos, a 496 km da capital Porto Alegre, com uma população de 18.851 habitantes segundo o último censo: Horizontina.

A inserção educacional é abrangente e ofertada de forma personalizada assim organizada entre as 10 Escola, sendo 04 de Educação Infantil, 05 de Ensino Fundamental na zona urbana e 1 de Ensino Fundamental localizada na zona rural; Nesta organização, são atendidos 2.605 (dois mil e seiscentos e cinco) alunos matriculados na Educação Infantil e Ensino Fundamental. As vivências ocorridas durante a pandemia mostraram a necessidade de investimentos ainda mais fortes que pudessem consolidar as aprendizagens conectando saberes e experiências, assim, em 2023 foi criado, através do Decreto no 5.380, de 06 de Março de 2023, o Centro de Educação Municipal - CEM com o objetivo de oferecer propostas pedagógicas interativas aos estudantes.

No corrente ano, a Secretaria Municipal de Educação também implementou, através da aprovação do CME, o Componente Curricular Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo para as turmas dos 9o Anos, com o objetivo de articular as Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação, o Letramento digital e o Pensamento Computacional e consequentemente ampliar as perspectivas de ensino e aprendizagem relacionando a tecnologia e inovação aos demais componentes curriculares. Atrelado ao novo componente curricular, implementou-se, no turno inverso, as Trilhas de Aprendizagem: “Despertando vocações para o mundo do trabalho e das profissões” através da parceria realizada entre a Administração Municipal e as Secretarias de Educação e Desenvolvimento Econômico apoiadas pela Fundação John Deere. Outra iniciativa de destaque é o Projeto de Robótica

desenvolvido nas escolas Municipais de Ensino Fundamental Cristo Rei e Espírito Santo, as quais contam com o Laboratório de Robótica, orientados pelos professores e voluntários da Fundação John Deere, além da Robótica Educacional implementada na Educação Infantil - Pré-Escola e nas turmas dos 1ºˢ Anos do Ensino Fundamental. A qualidade da Educação perpassa por várias ações e programas para capacitar, fortalecer, apoiar e garantir o sucesso no ensino-aprendizagem. Tendo em vista o trabalho educacional com foco na contínua inovação, a Secretaria Municipal de Educação desenvolve o Projeto Educar para Empreender, Inovar para Conectar: um case de sucesso da Educação Municipal de Horizontina, contemplando o acesso às novas tecnologias integradas à prática pedagógica considerando o uso de recursos digitais no processo educativo e o desenvolvimento de novas habilidades, as chamadas soft skills do século XXI, temas sempre presentes nas atividades de formação pedagógica e nos processos que envolvem os estudantes.

Justificativa: A Base Nacional Comum Curricular contempla o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas ao uso crítico e responsável das tecnologias digitais tanto de forma transversal quanto de forma direcionada conforme a Competência Geral 5: “Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.” (BNCC, 2018). É importante considerar ainda que no início de 2023 foi aprovada a Política Nacional

de Educação Digital através da Lei LEI No 14.533, de 11 de janeiro de 2023, dentre os vários itens propostos na Lei, destacam-se a democratização do acesso à tecnologia na educação básica. Ainda o PARECER CNE/CEB No:2/2022 - Normas sobre Computação na Educação Básica, em complemento à BNCC orienta os processos e o ensino aprendizagem referentes à Computação na Educação. De acordo com a legislação acima citada, o Município de Horizontina, através da Secretaria Municipal de Educação, fortalece as ações de acesso às novas tecnologias integradas à prática pedagógica com o Projeto Educar para Empreender, Inovar para Conectar: um case de sucesso da Educação Municipal de Horizontina. A implementação das diversas ações que dizem respeito ao Projeto perpassam por diversos segmentos, porém a intencionalidade, o objetivo é claro, ao capacitar o professor para que através das práticas pedagógicas, oportunize ao aluno novas vivências e experiências instigantes, evidenciando o protagonismo, para que seja capaz de agir no mundo com autonomia, desperte o interesse e a expectativa do mesmo de replicar o que aprendeu na comunidade em que vive, gerando um empoderamento.

Objetivos: 1) Desenvolver ações e estratégias voltadas para a melhoria das práticas pedagógicas na Rede Municipal de Ensino através das novas tecnologias digitais, com pensamento robótico, priorizando a sustentabilidade e conexão ética na resolução de problemas frente aos desafios da sociedade contemporânea. 2) Conectar o conhecimento e as habilidades de diferentes áreas, proporcionando o desenvolvimento da autonomia e a formação do sujeito. 3) Inserção dos estudantes na cultura digital, envolvendo a aprendizagem destinada à participação consciente e democrática por meio das tecnologias digitais, o que pressupõe compreensão dos impactos da revolução digital e seus avanços na sociedade, a construção de atitude crítica, ética e responsável em relação à multiplicidade de ofertas midiáticas e digitais e os diferentes usos das tecnologias e dos conteúdos disponibilizados. 4) Inserir o estudante em espaços diferenciados e coletivos de mútuo desenvolvimento que promovam o fortalecimento da cultura digital. 5) Implementar a Capacitação “Letramento Computacional para a Rede Municipal de Educação” para os professores com vistas a atender o Parecer CNE-CEB No 02/2022 - Normas sobre computação na Educação Básica e Política Nacional de Educação Digital através de práticas pedagógicas plugadas e desplugadas.

Público-alvo: O projeto é realizado com Professores da Educação Infantil e Ensino Fundamental, estudantes da Educação Infantil, Pré-escola e do Ensino Fundamental, abrangendo diretamente em torno de 2605 (dois mil e seiscentos e cinco) estudantes, 210 (duzentos e dez) professores da Rede Municipal de Ensino e indiretamente o entorno das famílias e comunidade.


“O Projeto Educar para Empreender, Inovar para Conectar: um case de sucesso da Educação Municipal de Horizontina é destaque nos aspectos que dizem respeito à criatividade e inovação, pois a metodologia ativa e a aprendizagem criativa instigam nos alunos as atitudes de autonomia, interação, senso crítico e criatividade. Na Educação, o compromisso é com as crianças e os jovens, inseridos num contexto escolar que acolhe, educa, respeita a igualdade e fomenta oportunidade de desenvolvimento integral. Continuar investindo na educação, contribuindo na construção de um futuro cada vez mais promissor é o objetivo da Administração Municipal de Horizontina.

Acreditamos no poder transformador da Educação, por isso estamos investindo e implementando metodologias inovadoras, com o compromisso de oferecer equidade de oportunidades aos estudantes, proporcionando maior qualidade no trabalho educacional desenvolvido pela Rede Municipal de Ensino de Horizontina.”

Jones Jehn da Cunha, prefeito de Horizontina



2º LUGAR - NOVA SANTA RITA

Educação Maker

O projeto: O projeto iniciou a sua implementação no ano de 2022, no início do ano letivo, com a apresentação da metodologia maker para toda rede de servidores da educação. Durante todo o primeiro semestre de 2022 foram feitas formações em rede com finalidade pedagógica com todos os professores e formações técnicas com os professores makers, profissionais indicados pelas escolas para ser a referência de cada escola, escolhidos por possuir perfil inovador, tecnológico e pesquisador. Em julho de 2022 foi inaugurada a Primeira Sala Maker do RS em escola pública nesse formato inspirado nos laboratórios de criação (FABLAB) credenciados no MIT.

As Salas Makers de Nova Santa Rita possuem plotter, impressora 3D, corte a laser, kit de ferramentas, materiais didáticos e insumos para uso nos projetos. Onde são trabalhadas as trilhas pedagógicas alinhadas com a BNCC, robótica aplicada ao processo de aprendizagem e projetos interdisciplinares trazidos pelos alunos e professores. Os componentes curriculares são vistos na prática, através da metodologia "mão na massa". Desde então inauguramos mais oito salas, totalizando nove: EMEF SANTA RITA DE CÁSSIA, EMEF TREZE DE MAIO, EMEF VICTOR AGGENS, EMEI PAULO FREIRE, EMEF HOMERO FRAGA, EMEF TIRADENTES, EMEF CAMPOS SALLES, EMEF MIGUEL COUTO e EMEF HÉLIO FRAGA ao todo, que atendem periodicamente 4195 alunos, e seguimos em formação com os vinte e cinco professores makers da rede municipal. 

Justificativa do Projeto: Na medida que as tecnologias digitais se aproximaram do ambiente educacional, fortaleceu a convicção de que os princípios da cultura maker aliados aos laboratórios de projetos, em Nova Santa Rita nominados Salas Makers, trariam ganhos educacionais no âmbito da utilização da tecnologia como meio de expressão e desenvolvimento das habilidades previstas na BNCC, outro ponto que justifica o projeto foi apontado pela pandemia, que foi a exclusão digital de alunos, professores e redes escolares públicas, quando a escola precisou protagonizar outro cenário além do prédio físico com quadro e giz, houve uma grande ruptura e perda de âmbito educacional para os alunos a nível mundial que ficaram a margem do aprendizado real durante a pandemia de COVID-19 que assolou o mundo em 2020 e 2021.

Em Nova Santa Rita a educação maker chegou como uma ferramenta de inovação e inclusão digital dentro do contexto educacional, importante frisar que a educação maker não é o reinventar da educação, mas sim é um processo de evolução que coloca a educação integralmente focada no aluno e no seu processo de aprendizagem, pois o foco da educação maker é a prototipação, ou seja, o uso de diversas tecnologias e ferramentas sendo o produto uma consequência do aprendizado, construído no processo de tentativa e erro.

Aliada aos pilares da Unesco para a educação, a educação maker em Nova Santa Rita trouxe melhorias significativas do engajamento dos professores, assiduidade e rendimento escolar dos alunos.

Objetivos: 1) Contruir e aliceçar uma prática docente inovadora com a modernização do "fazer educação" e assim tornar o processo de aprendizagem mais atrativo ao aluno, a fim de aumentar os índices de educação que Nova Santa Rita possui no IDEB. 2) Tornar as aulas mais práticas e focadas no processo de aprendizagem do aluno, permitindo que o mesmo exerça o protagonismo da sua aprendizagem. 3) Trazer o aprendizado concreto, principalmente do componente curricular de matemática, através do uso de ferramentas físicas, concretas e tecnológicas. 4) Desenvolver plenamente as competências e habilidades previstas na BNCC. 5) Construir através de formações docentes processos de inclusão digital para os professores, para além da sua formação acadêmica que não prepara para atender ao aluno que tem acesso à informação em tempo real.

Público-alvo: Toda rede municipal de alunos, que conta atualmente com 5073 alunos, todos os professores e gestores das 18 escolas municipais e os 25 professores makers, de Nova Santa Rita.


“Conhecemos a Educação Maker, a Sala Maker quando visitamos Sobral/CE no ano de 2021, o município que é uma referência com altos índices nas avaliações externas, usa a metodologia maker como uma das ferramentas para o sucesso escolar dos alunos. Imediatamente decidimos trazer essa inovação para Nova Santa Rita e hoje em 2023 já temos além do espaço físico que são as Salas Makers em metade das escolas da rede municipal, instituímos uma educação maker em toda rede municipal através do uso dessa metodologia que atualmente atinge todos os alunos, professores e gestores.”

Rodrigo Battistella, prefeito de Nova Santa Rita



3º LUGAR - MORRO REUTER

Tele-Entrega Literária

O projeto: O projeto TELE-ENTREGA LITERÁRIA teve início dia 20 de abril de 2023, em uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. “Saboreie o conhecimento e use a criatividade para fazer dessa degustação um banquete!”, é a proposta do projeto, que entrega em todas as escolas, livros novos do acervo da Biblioteca, dentro de caixas de pizza, por meio de um motoboy, como uma tele-entrega normal. Até aqui, o projeto conta com o envolvimento das 8 escolas do município (estadual, municipais e privada), engajando cerca de 1200 alunos e 200 profissionais da educação. Após, o projeto será ampliado para toda a comunidade morro-reutense pelo “Saberes na Vitrine”, atingindo 6.124 habitantes, bem como todos os visitantes da Feira do Livro que ocorrerá em outubro e recebe mais 5 mil pessoas, além dos munícipes. 

Justificativa: Desde que se emancipou, Morro Reuter tem na “leitura” o fio condutor das ações na área da educação, o que o levou a se conhecido como “Cidade Leitora”. No início de sua emancipação política, destacou-se, na área da leitura com projetos como: Serenata do Livro, Vale-Livro, Obelisco de Livros, Leituras Compartilhadas, Bibliotecas Escolares, cujos padrinhos contemplam nomes de escritores gaúchos. Também, foi premiado pela Câmara Rio-Grandense do Livro, pela Federasul, pela RBS – por meio do Fato Literário. Já ganhou notoriedade por ser o município mais alfabetizado do Rio Grande do Sul, ficando também, em segundo lugar no Ranking Brasileiro, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2006). Acreditamos que isso se deve a uma série de ações pensadas para valorizar e impulsionar a importância da leitura na vida dos cidadãos. Por causa disso, já foi destaque na revista National Geographic e tem, na entrada da cidade, um monumento ao livro: um obelisco de livros. O fato é que toda política de incentivo à leitura precisa ser fomentada e, objetivando manter acesa a “lamparina” da Cidade Leitora, muitas ações são, aqui, criadas. Foi assim que o projeto “Tele-Entrega Literária” surgiu e, com ele, o sucesso. Essa ação, que se justifica como mais uma que compõe a política de incentivo à leitura do município, ganhou notoriedade, obtendo projeção de alcance estadual, tendo sido veiculada na mídia local, regional e estadual, com duplo espaço na RBS TV.

Objetivos: Potencializar o hábito da leitura, tornando a Biblioteca Pública Municipal Érico Veríssimo mais próxima da comunidade escolar (e comunidade geral) do município, reforçando assim nosso compromisso com o desenvolvimento de uma cidade leitora, por meio da entrega de livros às escolas do município, que é feita por um motoboy (dono de uma pizzaria da cidade de Morro Reuter), cujos títulos compõem um “menu degustação”, numa caixa de pizza.

Público-alvo: Num primeiro momento: todos os alunos do município (cerca 1200) e 200 profissionais da educação. Após, o projeto chegará aos 6.124 habitantes, mais visitantes durante a Feira do Livro (cerca de mais 5.000 pessoas).


“Como nos diz Rubem Alves: “Ler é uma virtude gastronômica: requer uma educação da sensibilidade, uma arte de discriminar os gostos”. Esse serviço delivery nos lembra quão gostoso é saborear uma pizza numa analogia ao prazer de uma boa leitura. A buzina que ecoa na frente da escola é o aviso de que os livros chegaram. Assim, de forma lúdica e inusitada o incentivo à leitura encanta alunos, professores e comunidade geral. Devido ao aceite do projeto, o mesmo será ampliado para a comunidade, usando o comércio local como um facilitador nesse processo.”

Carla Cristine Chamorro, prefeita de Morro Reuter



4º PRÊMIO BOAS PRÁTICAS

1º LUGAR - VENÂNCIO AIRES 

Conecta Educação 

O projeto: O projeto considera os impactos da pandemia nos processos de ensino e aprendizagem e os desafios da contemporaneidade que impõem a necessidade de repensar ações educativas que priorizam espaços de diversidades, práticas cooperativas, pesquisa e inovação. Frente a esse cenário, organizam-se ações com vistas à inserção das novas tecnologias, com destaque à robótica e aos recursos digitais. Ressalta-se o desenvolvimento de consistente programa de formação continuada com vistas à capacitação dos docentes para a integração dessas tecnologias à prática pedagógica. 

Objetivo: Estimular o desenvolvimento de metodologias ativas que promovam o protagonismo dos estudantes, a humanização dos processos escolares, favorecendo a construção de aprendizagens significativas, conexões, pesquisa, criatividade e produção de conhecimento. Utilizar aplicativos e softwares educacionais potentes na qualificação das aprendizagens. Fomentar a robótica educacional nas escolas municipais, aspectos teóricos e práticos, a partir da abordagem STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matemática), além do desenvolvimento do pensamento computacional.

Público-alvo: Professores da rede municipal de ensino, crianças da Educação Infantil e os estudantes do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos. Contudo, toda a comunidade é contemplada pelas pesquisas, práticas e ações desenvolvidas. 

Metodologia: Em 2021 ofertou-se em torno de 90h de formação continuada com foco na utilização de recursos digitais. Em 2022 as formações enfocam as tecnologias aliadas às especificidades dos componentes curriculares. Este ano também ocorreu a 11ª Mostra Municipal de Pesquisa e Inovação, MOMPI, e a 1ª Olimpíada de Robótica de Venâncio Aires, ORVA, evidenciando pesquisas desenvolvidas pelos Clubes de Robótica com temáticas voltadas ao meio ambiente, sustentabilidade, busca de soluções para problemas regionais como a prevenção de incêndios em estufas de fumo e proteção aos animais em extinção.

“O investimento em educação tem várias fases, passa primeiro pela vontade do gestor. Investir na educação não é gastar dinheiro, é acreditar no futuro da nação, das crianças, da comunidade. É necessário assumir o compromisso com a educação e ter capacitação para os profissionais, investir em tecnologia é essencial e é assim que se faz educação de qualidade. Todo investimento em educação tem retorno garantido à sociedade. Queremos estudantes capazes de resolver situações desafiadoras, associando teoria e prática, tendo a escola como espaço de construção permanente de aprendizagens.”

Jarbas da Rosa, prefeito de Venâncio Aires



2º LUGAR - GUAPORÉ

Guaporé: Cidade Educadora

O projeto: O Projeto de Lei para adesão à Carta das Cidades Educadoras e ingresso na Associação Internacional das Cidades Educadoras – AICE foi apresentado e aprovado na Câmara Municipal de Vereadores em setembro de 2021. A partir desse momento, o município iniciou movimentos para que todos os projetos, nas mais diversas áreas, tivessem como orientador os elementos de uma cidade realmente educadora.

O movimento compreende a educação como um elemento norteador das políticas da cidade e o processo educativo como um processo permanente e integrador que deve ser garantido a todos em condições de igualdade e que pode e deve ser potencializado pela valorização da diversidade intrínseca à vida na cidade e pela intencionalidade educativa dos diferentes aspectos da sua organização: do planejamento urbano, da participação, do processo decisório, da ocupação dos espaços e equipamentos públicos, do meio ambiente, das ofertas culturais, recreativas e tecnológicas.

Objetivo: Promover o aprofundamento do conceito de Cidade Educadora e as suas aplicações práticas nas políticas das cidades, através de intercâmbios, encontros, projetos comuns, congressos, atividades e iniciativas que reforcem os laços entre as cidades associadas, no âmbito das delegações, Redes Territoriais, Redes Temáticas e outros agrupamentos.



3º LUAGR - FREDERICO WESTPHALEN 

Intervenção da Equipe Multidisciplinar na Área de Educação

O projeto: O projeto propõe a elaboração de estratégias de ações multidisciplinares, visando apoio às escolas da rede municipal, estadual e particular de ensino, com a constituição de uma equipe formada por 1 assistente social, 2 psicólogas, 2 fonoaudiólogas, 2 psicopedadogas e 1 professora de Atendimento Educacional Especializado - AEE. Tais profissionais proporcionam aos alunos com dificuldades no processo ensino aprendizagem ações que venham contribuir na redução do elevado índice de repetência escolar, bem como evasão e defasagem de habilidades e competências cognitivas.

Objetivo: Redução dos índices de deficiências de aprendizagem, reprovação e evasão escolar, através de uma proposta que compreenda a construção do aprender, do diálogo e da educação, gerando assim confiança e entusiasmo no âmbito escolar, familiar e social nos múltiplos processos de aprendizagem. Formar uma equipe multidisciplinar que atue nas escolas e ambiente próprio, servindo de suporte técnico aos professores, educandos e familiares. Disponibilizar de um local de referência para a equipe, a fim de realização de trabalho com os educandos e familiares. Propiciar às crianças e adolescentes da Educação Básica, da Educação Infantil até o nono ano, com déficit de aprendizagem, um trabalho individualizado e ou de pequenos grupos, com ações capazes de desencadear um efeito de aprendizagem eficaz.


3º PRÊMIO BOAS PRÁTICAS

 

1º LUGAR – TAPERA

Álcool, tô fora – Por uma cultura de Paz

 

2º LUGAR – PALMEIRA DAS MISSÕES

Execução do Software de Gestão de Transporte Escolar

 

3º LUGAR – CARLOS BARBOSA

Mostra Científica Municipal

 

 

2º PRÊMIO BOAS PRÁTICAS

 

1º LUGAR – CAPÃO BONITO DO SUL

Adote uma família e viaje com ela pelo mundo da leitura

 

2º LUGAR – SÃO SEPÉ

Centro Municipal de Atendimento ao autista

 

3º LUGAR – FAGUNDES VARELA

Biblioteca Digital

 

 

1º PRÊMIO BOAS PRÁTICAS

 

1º LUGAR - GRAVATÁI

Cidadão de Talentos – Trabalho Educativo

 

2° LUGAR – PORTO ALEGRE

Baú de Histórias

 

3° LUGAR - VACARIA

Sustentabilidade no Campo

Compartilhe!