Levantamento realizado em parceria com o Coegemas/RS, com a Escola de Saúde Pública e com as associações regionais visa reunir dados sobre abrigamento e acolhimento institucional de pessoas idosas no RS

A partir de grupo de estudos que pesquisa sobre as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) no estado, será lançada nesta quarta-feira (15/6) uma pesquisa para fomentar o desenvolvimento articulado e tripartite da política pública de alta complexidade da pessoa idosa. Em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, a pesquisa visa melhorar o financiamento e a condição de acesso a este tipo de serviço, nas responsabilidades dos entes federados e a articulação entre políticas, como saúde e assistência social.

Deste setembro, o grupo constituído pelo Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas/RS), com a participação da assessoria técnica da Famurs, de representantes das associações regionais e de representantes da Escola de Saúde Pública (EPS/RS), tem se reunido e elaborou a pesquisa para ser aplicada nos municípios gaúchos, com objetivo de levantar informações sobre a relação com as ILPIs, no contexto de abrigamento e acolhimento institucional de pessoas idosas.

De acordo com a assessora técnica de Assistência Social da Famurs, Elisete Lopes, o questionário busca levantar dados sobre como se dá o conveniamento e parceria dos municípios com as instituições, para se ter dados de número de vagas compradas, se são suficientes, como se dá o abrigamento, quais critérios de seleção do idoso que necessita ser acolhido, qual a fonte de recursos para custear as vagas, se o municípios recebe financiamento dos governos federal e estadual, entre outras informações.

Segundo a assessora técnica Elisete, a intenção das entidades em lançar o questionário no Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa é uma forma de lembrar que, muitas vezes, o idosos institucionalizado é aquele que sofreu violação de seus direitos, algum tipo de violência ou negligência, principalmente os idosos em situação de vulnerabilidade. “É importante trazer à pauta a reflexão sobre o envelhecimento, sobre as necessidades de cuidado e a oferta de serviços adequados às pessoas idosas, que contribuíram para a vida em sociedade, na garantia de políticas públicas de atendimento para essas pessoas e de um olhar verdadeiramente humano”, salientou.

A pesquisa foi encaminhada para as secretárias e departamentos de Assistência Social das prefeituras gaúchas. O prazo para entrega do relatório é 30 de julho.  

Informações da notícia

Data de publicação: 15/06/2022

Créditos: Ellen Renner

Créditos das Fotos: Tony Winston/Agência Brasília

Compartilhe!