A oficialização do crédito foi realizada na tarde desta quinta-feira (6/5) durante o seminário Inovação e Tecnologia na Educação, evento virtual promovido pela Famurs

Conforme anunciado durante o Seminário Novos Gestores, o Banrisul, atendendo a pedidos da Famurs e dos municípios, abriu uma linha de crédito especial para professores municipais e pais de alunos para o financiamento de tecnologias. A oficialização do crédito foi realizada na tarde desta quinta-feira (6/5) durante o seminário Inovação e Tecnologia na Educação, evento virtual promovido pela Famurs.  

Segundo o superintendente da Unidade Comercial de Governos do Banrisul, André Perini, a iniciativa da instituição visa facilitar a retomada da educação durante o período de pandemia. O CDC Digital tem condições especiais, sem tarifas de contratação, taxas diferenciadas e o pagamento poderá ser feito em até 24 vezes.

Conforme Perini, o Banrisul irá financiar 100% dos equipamentos, limitado a R$ 7 mil, e os interessados podem fazer a compra no estabelecimento de sua escolha. O financiamento é exclusivo para aquisição de celulares, tablets, impressora, computadores, leitores digitais e todo tipo de equipamento tecnológico que pode auxiliar professores e alunos.

Proponente da medida, o prefeito de Dom Pedrito, Mário Augusto de Freire Gonçalves, conta que sugeriu a ação tendo em vista que muitos municípios não têm a mesma estrutura e condições de oferecer aos professores e pais de aluno um aparelho para acompanhamento das aulas virtuais. “Com isso buscamos um parceiro e o Banrisul comprou essa ideia de trazer uma oportunidade, de maneira mais acessível, para as pessoas que estão envolvidas no processo de educação a terem acesso a essas ferramentas”, justificou.

A contratação do CDC Digital já está disponível nas agências do Banrisul. Os atendimentos presenciais estão sendo realizados, preferencialmente, com agendamentos.

Inovação e tecnologia

Durante a abertura do seminário, o presidente da Famurs, Maneco Hassen, ressaltou que o encontro tem o objetivo de debater sobre um tema que está constantemente presente nas nossas vidas e que hoje pode ser implementado na educação, principalmente neste período de extrema dificuldade que mantêm alunos e professores fora das salas de aula.

Para a secretária executiva da União Nacional dos Dirigentes Municipais (Undime/RS) e secretária de Educação de Santiago, Mara Rebelo, é pertinente e salutar pensar a educação e falar de tecnologia na educação, principalmente diante dos desafios trazidos pela pandemia, como a falta de internet, acesso e conectividade nas escolas. “Acredito que a tecnologia para a educação, daqui para frente, é algo que fará parte da nossa agenda. Os gestores terão que buscar possibilidades de aquisição de ferramentas, que serão meios de aprendizagem nas suas redes”, afirmou.

Segundo a secretária estadual de Educação, Raquel Teixeira, a questão da tecnologia e da inovação já vinham sendo construídas e evoluindo, mas a pandemia acelerou os processos. Apenas no ano de 2020, houve um aumento de 70% do uso da internet e 600% no uso de plataformas de colaboração, apontou Raquel. “Claramente a tecnologia veio para ficar. E se a tecnologia já afeta a nossa vida é claro que ela chegaria na educação e já fez um bem enorme”, declarou.

Na opinião da secretária, hoje é possível ter certeza que a escola e o professor são insubstituíveis, sendo a tecnologia um auxiliar importante que ajuda a entregar melhores resultados de aprendizagem. No entanto, apresentando dados da pesquisa Nossa Escola em (Re)Construção de 2019, Raquel apontou que é preciso melhorar o uso da tecnologia na escola, avaliado por 57% dos jovens como regular ou ruim.

Após a abertura do evento virtual, a coordenadora de Educação da Famurs, Juçara Vieira Dutra, fez a mediação das palestras. Durante o encontro, a mestra em Gestão Educacional pela Unisinos, Mônica Timm de Carvalho apresentou a plataforma digital de leitura para estudantes do Ensino Fundamental, o Elefante Letrado. A plataforma busca auxiliar professores e gestores a promover a leitura e as boas práticas de ensino.

O professor de Engrenharia Elétrica da PUCRS, Wagner Prates e o engenheiro eletricista, Vitor Halmenschlager, representantes da MobKits, falaram sobre eletrônica e robótica educacional, popularização da robótica em forma de brinquedo, construção do conhecimento e fomento da curiosidade.

Também participou do seminário o designer gráfico e especialista em mercado editorial pela Universidade Positivo, Cassiano Novaki, que abordou o uso de dispositivos digitais com QR Codes, realidade aumentada, visitas virtuais, gameficação e a inclusão da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Informações da notícia

Data de publicação: 06/05/2021

Créditos: Ellen Renner

Compartilhe!