O Rio Grande do Sul foi o estado com maior número – trinta e sete – de prefeituras avaliadas com bom desempenho de administração municipal no estudo Índice de Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão dos Municípios Brasileiros (IRFS) divulgado pela ...

O Rio Grande do Sul foi o estado com maior número – trinta e sete – de prefeituras avaliadas com bom desempenho de administração municipal no estudo Índice de Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão dos Municípios Brasileiros (IRFS) divulgado pela Confederação Nacional dos Municípios – CNM, nesta segunda-feira (07/05). O município de Caseiros, da região nordeste do Estado, conquistou o segundo lugar do índice geral, seguido do município paulista Bom Jardim da Serra, que tirou primeiro lugar. Dos trinta primeiros colocados, 15 são municípios gaúchos.

A análise baseia-se em dados de prestação de contas e traz comparativos dos resultados desde 2002 para que seja possível avaliar o desempenho geral da administração ao longo dos anos. O Rio Grande do Sul destaca-se principalmente no quesito fiscal: dentre os 100 melhores índices, 46 são de cidades gaúchas. A boa posição neste ranking conferiu aos municípios gaúchos o melhor posicionamento geral. Entretanto, a representatividade gaúcha aparece também nos indicadores gestão (cinco municípios) e social (três).

Na média de 2002-2010, dois municípios gaúchos se destacaram em relação aos demais no resultado comparativo. Tupandi e Alecrim, em segundo e terceiro lugar, respectivamente, se caracterizaram por uma boa regularidade e desempenho em todas as áreas avaliadas pelo IRFS. Nesta lista, composta por 30 municípios com as melhores médias, o estado aparece em grande concentração, com 13 municípios. Segundo a CNM, isso demonstra a responsabilidade em apresentar todos os balanços exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja, os municípios gaúchos se comprometem em entregar os balanços orçamentários e patrimoniais até o dia 30 de abril. O IRFS aponta também para os maiores avanços no ranking entre 2002 e 2010: Pantano Grande (2º na lista) e Pedro Osório (3º), com um aumento no índice de 31,5% e 30,9%, respectivamente.

O estudo classificou como o maior desafio para os municípios a capacidade de superar os números de 2002 de investimento em infra-estrutura. Conforme consta no levantamento, “vencer este desafio é tanto maior quanto maiores as necessidades de contratação de pessoal para atender às crescentes responsabilidades nas áreas sociais, o que reduz o espaço fiscal em conjunto com as restrições de financiamento”.

Confira o estudo completo da CNMclicando aqui.

Relação dos 100 primeirosmunicípios.

Assessoria de Comunicação Social

3230.3150 / 3230.3100 ramal 282

[email protected]

Galegira padrão para ser utilizada em Notícias

Informações da notícia

Data de publicação: 07/05/2012

Compartilhe!