O debate sobre investimentos públicos em um cenário de escassez de recursos foi o destaque, nessa quarta-feira (5/7), do primeiro dia de atividades do 24º Fórum dos Dirigentes Municipais de Cultura do Rio Grande do Sul.

O debate sobre investimentos públicos em um cenário de escassez de recursos foi o destaque, nessa quarta-feira (5/7), do primeiro dia de atividades do 24º Fórum dos Dirigentes Municipais de Cultura do Rio Grande do Sul. O coordenador-geral da Famurs, José Scorsatto, defendeu a importância do trabalho em conjunto para superar as dificuldades financeiras. “É [necessário] uma integração de todas as redes. A cultura deve ser feita para todos”, refletiu.

O secretário estadual de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do RS (Sedactel), Victor Hugo, afirmou que os gestores não podem se conformar. “No serviço público, há uma [dificuldade] a cada meia hora. Se a gente aceitar, não vamos avançar”, ressaltou.

A vice-presidente do Conselho dos Dirigentes Municipais de Cultura (CODIC), Fernanda Fraga, afirmou que os gestores da área devem estar preparados para lidar com a fusão de secretarias. “Temos que nos questionar como as políticas públicas destas áreas que se unem podem se complementar. Podemos potencializar o esporte e o turismo junto com a cultura”, orientou.

Amyr Klink

O navegador Amyr Klink compartilhou com os participantes do 24º Fórum dos Dirigentes Municipais de Cultura do RS lembranças das viagens que fez pelo mundo. Ele destacou que o tempo é o bem mais precioso que as pessoas possuem. “[O tempo] não é reciclável. É a única coisa que o ser humano nunca vai poder recuperar”, lembrou. Klink também ressaltou a importância da cultura.

A fotógrafa Marina Klink, esposa do navegador, apresentou histórias e destacou a importância de não se acomodar na vida. Ela contou sobre a experiência de ir com o marido e as três filhas para a Antártica, de barco.

Fundo de Apoio à Cultura

Durante a abertura do 37º Congresso de Municípios, o secretário Victor Hugo anunciou a abertura de um edital de Fundo de Apoio à Cultura (FAC). Segundo o dirigente, o edital destinará R$ 2,5 milhões aos municípios. “Em tempos de dificuldade financeira, vamos trabalhar pela cultura”, ressaltou.

Ao todo, serão selecionados 28 projetos – podendo ser de qualquer área da cultura, como música, teatro e museus –, sendo 4 no valor de R$ 150 mil, 14 de R$ 100 mil e 10 de R$ 50 mil. As inscrições estarão abertas de 6 de julho a 31 de agosto. Os projetos selecionados deverão ser executados com as verbas de forma conjunta, utilizando o repasse do FAC e recursos do município.

Pela primeira vez nesta modalidade de FAC, os repasses serão feitos estilo fundo a fundo, onde o governo deposita o montante diretamente nas contas dos municípios. As prefeituras receberão o dinheiro, executarão os projetos e depois vão prestar contas. Os valores serão destinados a cidades que possuem o Fundo Municipal de Cultura. “Para quem ainda não possui, dá tempo de fazer”, lembrou o secretário.

Assessoria de Comunicação Social
(51) 3230.3150 / 99330.8399
[email protected]

.

Informações da notícia

Data de publicação: 06/07/2017

Compartilhe!